Joseph Lorusso

Em um quadro de cores febris

(Imagem: Pintura de Joseph Lorusso)

De perto a vida te quer,
Já no alto a tarde te pinta em um quadro de cores febris,
O calor te festeja,
Suspirando doce como vinho suave,
E bêbada de suspiros atrasa-te por uma alameda,
Teus intangíveis tocam as coisas do mundo,
O caminho que te alcança se fecha e se abre numa espiral,
Paternal, o vento te acaricia os cabelos,
A brisa amiga te instiga a rodar a saia do vestido,
E inspiram a beijar tua prole,
Tuas pequeninas paixões e sonhos,
Presas como frutas no pé na ventania de tua história,
Corações amarelas vermelhas queimadas,
De verões viajantes,
Apertando-te o peito.

Continuar lendo “Em um quadro de cores febris”

Atiradora de punhais

Tão logo você surgiu, Percebi que havia esquecido algo importante sobre mim mesmo, Mas não o quê…. Continuando a não lembrar, cresceu aquela agonia-por-de-trás-do-vidro, Pensei “ela é fantástica”, E soube no mesmo instante, Você também havia esquecido algo importante, Mas não quis te incomodar, Através do vidro, você estava se trocando, E se trocando através do vidro, Era mais frio do que deveria ser, No … Continuar lendo Atiradora de punhais

Encontro de olhares

    Passos de soslaio Conduzindo uma equidade de través, Turvo, o olhar inclina-se Às costas nuas da mulher, Precipitando-se num esgueiro sutil Dança dos corpos pela terra, Um raio caiu entre as pupilas – Quem o viu? – Quem notou? – Apenas nós como testemunhas, O brilho ainda reflete nos olhos, Um riso ainda no canto da boca, Densa neblina além-nós, Os longos cabelos … Continuar lendo Encontro de olhares