Redenção da alma

As luzes e as sombras da vida,
A solidão de ter nas mãos,
As esferas,
E, de uma em uma, 
Esticá-las até a luz,
Girando e girando,
Impregnando de sentidos,
Sentimento inflando,
Derramando cores,
Sobre o vestido sombrio
Da musa em chamas,
Bebida fermentada
De olhares expressos,
Agora ela dança e se perde,
Dobrando a macies da beleza
Até quase esmagá-la,
Oh, tão ávida visão!
Meus astros da penumbra,
Desbotam e envelhecem todos,
Até a redenção da alma.
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s