Sempre tarde demais

Nostalgia da tristeza,
Nostalgia da juventude,
Tempo de ouro,
Dum coração sem sorte,
Casa vazia,
Teias florescendo,
Da aranha dos sonhos,
Poeira,
Punhado,
Pá,
Cal,
Grão a grão, às vezes,
Punhado a punhado, às vezes,
E às vezes a ultima pá,
Segundo a segundo,
Ano após ano,
Soterrando,
Grãos, punhados, sacos,
Tudo que é tempo,
Da volta eterna dos ponteiros,
E como nos sonhos,
Tudo jaz sobre uma eterna-idade,
Nunca a hora certa,
Nunca, agora,
Entre o fruto e a semente,
Toda impossível densidade temporal,
Sempre,
Sempre,
Sempre,
Tarde demais.
 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s